2 Replies Latest reply: Apr 13, 2017 8:22 AM by Daniel Khairalla RSS

    Fim do Qlikview?

    Ronan Seleme

      Bom dia,

       

      Gostaria de saber se é verdade que a Qlik pretende abandonar o Qlikview e voltar forças só para o QlikSense ?

      Se isso realmente acontece, em quanto tempo desativarão o Qlikview?

       

      Abrs

        • Re: Fim do Qlikview?
          Clever Anjos

          Não está previsto o fim do produto.

          Ele tem um roadmap por uns bons anos ainda

          • Re: Fim do Qlikview?
            Daniel Khairalla

            Não é a intenção da Qlik desativar o QlikView, visto que, o View tem roadmap por bons tempo como disse o Clever, porém, sim, as intenções estão voltadas mais para o Sense... Leia abaixo uma parte da entrevista do CEO da Qlik.

            Segue entrevista com o CEO da QLIK (Observar o que está em negrito):

            A entrevista do Lars Bjork, CEO da Qlik, feita para o Henry Eckerson do Eckerson Group conclui que de fato a Qlik agora vive um novo momento passados 3 meses de sua aquisição pelo fundo Thoma Bravo.

            A Qlik se liberta das amarras e distrações impostas por Wall Street, acionistas e mercado, permitindo que seu CEO se concentre em negócios, clientes e na operação que prepara o lançamento do Qlik Sense Cloud Business neste último trimestre.

            Em 2016 Qlik Sense deve representar metade da receita da Qlik, segundo seus executivos.

            Abaixo algumas questões chaves desta entrevista com base no meu ponto de vista:

            • O Roadmap de produto está mantido e o foco é Nuvem.
            • Qlik vai oferecer oferecer soluções em nuvem de forma hibrida para acomodar dados locais com dados em nuvem além claro de software local ou em nuvem, como for mais conveniente para o cliente.
            • A Nuvem não é um diferenciador para a Qlik, mas sim um facilitador para que a sua solução possa atingir o maior número possível de clientes.
            • Qlik se posiciona muito a frente da Tableau quanto ao motor de retaguarda (back-end engine), plataforma e retaguarda. Isso permite alavancar visualizaçõe self-service de forma segura, evitando um caos massivo.
            • Quanto aos concorrentes, Tableau tem sofrido bastante com Microsoft pois ela está retomando um mercado que ela havia perdido para a Tableau quando usuários começaram a adotá-lo para substituir o Excel como ferramenta analítica. Microsoft oferece o PowerBI muito barato, mas ele não vai te levar muito longe pois segue a mesma filosofia de uso do Excel. Você vai precisar de outros produtos microsoft para ter uma solução corporativa robusta e isso vai te custar um bom dinheiro.
            • A Qlik está se separando da crença de que tudo deve estar 100% em memória. Eles estão trabalhando em uma iniciativa de Big Data bastante atraente que permitirá manipular grande quantidade de dados assim como fluxos de dados.
            • Qlikview vai permanecer no mercado por um bom tempo, mas a maior parte do esforço agora está na plataforma Qlik Sense.
            • Qlik Sense tem atraído muita atenção dos clientes por ser uma plataforma aberta, do ponto de vista de integração, e ser baseada 100% web.
            • Qlik oferece tanto uma plataforma de desenvolvimento para TI e desenvolvedores assim como uma plataforma de Self-Service BI para usuários de negócio.
            • A Qlik aprendeu com Qlikview que poucos desenvolvem e muitos consomem. O desenvolvimento com Qlikview é centralizado. Isso também é possível fazer com Qlik Sense, mas o ganho de valor com Qlik Sense ocorre quando um maior número de usuários deixam somente de consumir, mas também passam a preparar novas análises através do Self-Service. Esta transição tem ocorrido, mas bem abaixo do esperado. (Aqui, na minha opinião traz a tona a questão a baixa cultura analítica das organizações, onde muitos pensam que colocar uma solução de bi self-service na mão do usuário seria como dar um revolver para um macaco. Puro preconceito, pois os usuários já fazem isso manipulando Excel+Access)
            • A Qlik espera inicialmente crescer com a plataforma em Nuvem de baixo pra cima, começando a atender o mercado de pequenas e médias empresas, que estão mais receptivas a transição de sistemas para nuvem.